segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Mudanças 2

Cá volto eu ao tema da mudança!
Tenho andado a pensar neste tema e nos diversos tipos de mudança que podem existir.
As duas grandes mudanças que existem são as exteriores e as interiores.
As primeiras estarão provavelmente quase dependentes das segundas se quisermos mudar realmente. Se não houver mudança no modo de pensar, no interior as mudanças exteriores serão sempre um esforço adicional e não serão naturais, diria mesmo que são falsas.
Claro que há algumas mudanças exteriores que são menos dependentes como por exemplo mudar a maneira de vestir, o tipo de roupa, a maquilhagem, mas por vezes, mesmo os outros não reparando, essas mudanças não são muito confortáveis para quem as faz, não nos sentimos à vontade pelos menos nos primeiros tempos.
As mudanças que tenho tentado fazer não são fáceis mas têm sido um desafio e eu gosto de desafios.
Há uns anos atrás fui obrigada a fazer uma mudança drástica na minha vida quase de um dia para o outro e, hoje pensando, nisso cheguei à conclusão que a mudança para o desconhecido pode ser uma coisa aterradora quando nunca se foi obrigado a isso.
Só mesmo obrigados fazemos essa mudança e mais tarde até chegamos à conclusão de que o sábio povo tem razão "há males que vêm por bem".
Nesta mudança uma coisa me bloqueava e me aterrorizava – o que é que os outros vão pensar, o meu lugar vai ser diferente- também aí, nessa altura cheguei à conclusão e por isso acho que amadureci muito, que a posição social, o satus só interessa a quem não entende o que é a vida, a quem não consegue ter riqueza interior suficiente e ser forte para viver a vida como acha que deve ser vivida.
Não me sinto arrependida de tudo o que tive de mudar, tive de o fazer e fi-lo o melhor que sabia.
Hoje as mudanças a que me propus são masi suaves, estão a ser menos difíceis mas desgastam, porque lá está, têm de começar pelo interior de nós próprios e tem de haver algum controle ou descontrole.
As mudanças devem ser encaradas talvez como parte do crescimento e algumas são inconscientes, outras são conscientes. Ajudam-nos a perceber que alguma realidade ou o que seja, pode ser diferente se nós quisermos! Quando chegamos a esse patamar, aí tomamos o rumo da vida nas nossas mãos e podemos conseguir ter longos momentos de felicidade.

7 comentários:

eva disse...

Gostei das ideias do teu texto! As mudanças e os desafios sempre de mãos dadas! :)

mimanora disse...

Eva, ainda bem que gostaste!
A vida é um permanente desafio e está em constante mudança mesmo sem darmos por isso...
Pega nas ideias e faz um post. Quem sabe não será uma maneira engraçada de encararmos as nossas mudanças!

Bjks

...Ju... disse...

eu acho que geralmente mudar faz beM!

bjinho*

Alexandre disse...

As mudanças, as mudanças... adoro as mudanças subtis, aquelas que ocorrem sem darmos conta, só porque sim :)

mimanora disse...

Ju, mudar é sempre bom!
Alex, essas são as melhores mudanças...

gimbras.nofuturo.com disse...

Então não sabes algo fundamental? Que ao mudares exteriormente te sentirás melhor e com força para mudares interiormente?

mimanora disse...

Gimbras, penso precisamente o contrário!