quarta-feira, 29 de abril de 2009

I´m In the Mood for Love



Música sugerida por um amigo.

Só porque me apeteceu

Bons sonhos

Se alguém encontrar um video melhor...

terça-feira, 28 de abril de 2009

Et voilá!

Aqui está o resultado do serão de ontem!
Ficou mais alto, fofo...

... e no meio quase mousse!

Claro que não resisti e hoje tirei não 1, mas 2 fatias!!!!!!!!!!
Hum, uma delícia.

Já estou aqui a imaginar outras versões deste bolo: acompanhado com morangos (um amiguinho meu devia adoraaaar), com uma camada de amêndoa torrada e partida a seguir à 1ª camada de bolo, ...

Um serão culinário!


23h e um telefonema:

Ele – Tenho aqui uma receita de bolo de chocolate que gostava de experimentar com a receita que tens.
Eu – Como?
Ele – A receita do teu bolo de chocolate no meio desta receita que tenho aqui deve ficar uma delícia. Queres experimentar?
Eu – Agora?
Ele – Sim. Se tiveres todos os ingredientes aí podíamos experimentar.
Fazíamos esta receita e quando a puséssemos na forma punhamos 1º uma camada , no meio sem deixar ir para as pontas punhamos parte da tua receita e por cima voltávamos a pôr a receita que tenho aqui. Que te parece?
Eu – Mas agora?... São 23h!
Ele – É rápido, vais ver. Deve ficar fantástico.
Eu – Sim deve, mas já viste as horas? Só deves cá estar lá para a meia-noite!
Ele – Estou a caminho…
Chegou como calculei à meia-noite.
Fazemos ou não fazemos o bolo? Já é tarde. Tenho de dormir. Depois de alguma troca de ideias lá começámos a fazer o dito bolo.
Aliás comecei eu, porque ele foi arranjar uma bebida! E ía dando palpites!!!!!
Depois das 2 misturas feitas era altura de as pôr na forma.
Qual é a que pomos 1º?
Se calhar é melhor a receita nova porque parece mais leve, tem farinha e precisa de cozer melhor… Mas se pomos a mais pesada no meio, deve afundar na outra mistura… Vamos ver o que dá…
Aí entra o perito. Deita uma das misturas no fundo da forma, depois começa a pôr a mistura do meu bolo (aquele bolo que faço tantas vezes) e a tentar que esta fique mesmo no meio, quase milimetricamente, passa depois a deitar o resto da 1ª mistura e… forno com ele, o bolo claro.
Agora só resta esperar, mas a minha receita só precisa de 20m de forno e esta 50m! ?
Vai ficar uma bela coisa, vai.
Depois de nos levantarmos várias vezes para espreitar o bolo, 30m depois achámos que já seria altura de o tirar e ver como está. Espeta palito, nas pontas está cozido, no meio quase cru… abana para ver se treme, põe o dedo em cima para ver se está fofinho...
Será que está bom?
Deve estar… quando arrefecer deve solidificar um bocadinho… Esperemos!
Entretanto da massa que tinha sobrado do meu ainda fizemos outro bolo, mas este sem invenções! Com este não íamos ter surpresas!!!!!!
Os 2 olhávamos para a nossa invenção…
Passados 30m resolvemos desenformar o bolo e………………….. saiu um bolo com um aspectão!!!
Alto e no meio pareceu-nos que estava mesmo quase cru, tipo mousse de chocolate!
Eram 2h30! Vamos provar!
Não, só amanhã…
E hoje de manhã... Que sono...bolo nã... é muito doce... levas para o jantar em casa dos teus pais... mas isso é só 4ª feira e assim não provas... provas tu e dizes o que achas, eu vou comendo o teu que adoro...
Hoje ao fim do dia vou abri-lo... acho que não resisto!
Nota: vou tentar não me esquecer de tirar uma foto!

segunda-feira, 27 de abril de 2009

sábado, 25 de abril de 2009

Complicamos demais!

De vez em quando deparo com uns estados de alma de amigos que me deixam no mínimo boquiaberta.
A última que me bateu à porta (às vezes pareço um confessionário) em jeito de desabafo:
“Não posso deixar a relação que não é relação que tenho continuar porque está a tornar-se séria e tenho medo de que os sentimentos que tenho cresçam, agora não quero!”

Ora vamos lá tentar perceber isto.
Uma relação é uma relação.
2 pessoas que se sentem bem ao pé uma da outra, a seriedade seja qual for o tipo de relação tem de estar presente, tem de existir no mínimo confiança, lealdade e respeito. O que daí vier é outra coisa e julgo que é aí que ele está um bocado baralhado. Baralha seriedade com “compromisso definitivo”, É AGORA, É PRA VIDA, VAMOS CASAR…………….

Agora o que me espantou mesmo foi a 2ª parte da frase “… tenho medo que os sentimentos que tenho cresçam, agora não quero”!

Ok tem medo, todos nós temos algum medo, medo de nos magoarmos, medo de magoar o outro, uma relação é sempre um risco pois cada um tem o seu coração e cabeça independentes e não conseguimos adivinhar sentimentos e pensamentos uns dos outros (pelo menos ao principio). Mas porquê não deixar as coisas acontecerem? Porquê estar já a pensar que pode vir a gostar mais do que quer? Porquê pôr rédeas nos sentimentos? Porquê tentar não sentir?

Está certo que já teve uma relação que o magoou (não sei se muito se pouco), mas se começar logo a pensar que vai ser o mesmo, que não pode deixar-se levar pelos sentimentos porque agora não quer será que não está a deitar pela janela uma ou a possibilidade de ser feliz?
Não somos nós que escolhemos o momento certo nem sei quem é, mas que ele aparece sem darmos por isso, aparece e está em nós aproveitá-lo ou não.

E faz-me uma certa confusão como é que se pode comandar os sentimentos, agora posso gostar, apaixonar-me, sentir tudo…. Agora não posso sentir nada, nem apaixonar-me, nem gostar. Deve ser terrível!

Uma coisa é tentarmos não gostar ou deixarmos de gostar, virar as nossas antenas para outro lado porque sabemos que não somos correspondidos ou porque sabemos à partida que esta ou aquela pessoa podem fazer-nos mais mal que bem (aí prevalece a razão?), outra coisa é ter a tal relação que é o que é com a seriedade básica e não deixar que ela evolua só porque agora não quer, porque tem medo.

Francamente há coisas que me deixam banzada e cada vez penso mais em como à medida que vamos crescendo vamos perdendo o que de muito bom temos – a frontalidade.
Não sei se alguma vez repararam nas conversas das crianças:
Uma criança quando gosta de outra vai ter com ela e diz “gosto de ti” e a outra responde “também gosto de ti” ou “ Eu não!”
Porquê complicarmos o que não é complicado?????

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Femininas, inteligentes e muuuuuito mais (desafio 12)

A Kika castigou-me (ler em tom de choro sff) com este desafio.
Obediente, cá estou a cumprir o castigo!

As regras são:
1. Escrever uma frase, citar um título ou contar uma história sobre os seis assuntos que se seguem:

Vida: não custa viver, custa é saber viver! (
não sei de quem é a frase, mas era a citação favorita do meu cunhado)

Cinema: só comédia, já tenho muitas fitas na minha vida ;)

Literatura: cada vez mais a correr.

Viagem: 1 estreia – América Latina e 1 repetição - Maurícias

Amor: “O amor não se define; sente-se” Séneca

Sexo: hum sexo, bem sexo é… uma das melhores formas de descomprimir , um dos melhores prazeres (quando bem feito, claro!!!!)

Mulher: “A mulher é um efeito deslumbrante da natureza” Arthur Schopenhauer

2. Convidar seis blogues que realmente considere femininos e inteligente.
Esta regra que não vou cumprir sorry cara Kika, mas não posso escolher 6 blogues que considere femininos e inteligentes, todos os blogues femininos das minhas espreitadelas são inteligentes cada um à sua maneira é claro!
Por isso, as minhas amigas que espreito e estão identificadas aqui à direita estão todas desafiadas!!!!!!!!!!
3. Linkar o blog que a convidou; Já está no inicío

4. Postar as regras para que outros as copiem; Quase
5. Inserir o selo que recebeu do Papo Calcinha;
Aqui está ele - O SELO

Conversas de escritório VI

Administrador no open space:

"não tarda vamos todos presos"

Eu a rir

Ele - "E você também à Nora"

Eu - "Eu? Não há problema desde que tenha cigarros e um portátil. Felizmente que as cadeias ainda não são mistas"

Ele - Porquê?"

Eu - "Não corro o risco de ficar na sua cela!"

WISH ME GOOD LUCK!

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Sem um pingo de vergonha!


"Defesa
Otelo Saraiva de Carvalho admite recusar distinção e pôr Estado em tribunal
O capitão de Abril Otelo Saraiva de Carvalho afirmou hoje sentir-se injustiçado com a promoção a coronel ao abrigo da reconstituição das carreiras e admitiu recusar a distinção e pôr o Estado em tribunal"
In Sol

Se há assunto que me toca e me indigna mesmo, é este. Só de ouvir o nome fico mal disposta, ultrapassa mesmo As Coisas que me Irritam... tenho de ir ler os comentários do Blitz ou do Record!
Na enxurrada de escândalos, desvarios e afins deste país só faltava mesmo isto!


Podem ler o resto da noticia aqui



quarta-feira, 22 de abril de 2009

Palavras leva-as o vento


Há quem seja bom, mesmo fantástico com palavras, mas quando chega a hora da verdade os actos deixam muito a desejar…

terça-feira, 21 de abril de 2009

Fraqueza ou não...

Mesmo quando me magoam muito, muito mesmo, quem me conhece bem sabe que se precisar de mim estou de braços abertos.
Há quem me critique por isso, mas não me preocupo, porque às vezes as pessoas podem mudar há quem não acredite nisso, mas quando somos inteligentes e humildes, aprendemos com os erros, mudamos e às vezes, poucas é certo, conseguimos retomar uma amizade que nos pode ser mais preciosa do que imaginamos... e isso é que é verdadeiramente importante!

domingo, 19 de abril de 2009

Astun

Dois pequenos apontamentos das férias na neve:
A queda fenomenal de um amigo que teve direito a filme e a alguns pontos na cara... e a a dança do ski no último dia.






sábado, 18 de abril de 2009

Coisas que me irritam III


É tratarem-me por dona!
Deixa-me tão, mas tão irritada que até um polícia descompus hoje, numa operação Stop.
No inicio ele nem percebeu, achou que se tinha enganado no nome quando disse D. Maria e eu com um ar irritado disse:
"Desculpe mas assim não me trata".
Chegou a olhar outra vez para o B.I.!!!!
Expliquei-lhe que dona é uma forma de tratamento importada do Brasil, como estamos em Portugal é senhora dona e se queria falar comigo ou me tratava como devia ou então que chamasse outro agente que soubesse aqui para nós, só quando estava a meio do "discurso" me lembrei que estava a falar com um polícia, mas como já tinha começado... tinha de acabar.
Mais, até lhe disse que deveria ter aprendido isso na escola ou na escola de polícia.
É das coisas que realmente me irritam! E assim começou a minha noite…

Caught up in you



38 Special

Uma pérola para começar bem o fim-de-semana!

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Incrível!


Rússia: Árvore com 5 cm retirada de pulmão humano

Um pequeno pinheiro com cerca de 5,1 cm de altura foi removido cirurgicamente de um pulmão de um paciente numa operação inédita e que deixou os cirurgiões incrédulos.
Os médicos haviam diagnosticado um cancro a Artyom Sidorkin, de 28 anos, quando este começou a tossir sangue e a queixar-se de dores insuportáveis no peito.
Mas, quando iniciaram a cirurgia para extrair o tumor, os médicos depararam-se com uma pequena árvore, em perfeito estado, a crescer no pulmão do paciente.
«Tive que piscar os olhos três vezes, achava que estava a ter uma miragem», afirmou o cirurgião Vladimir Kamashev do Hospital Izhevsk na Rússia.
Os médicos acreditam que Artyom inalou uma pequena semente que germinou no seu pulmão e que as dores que o paciente sentia eras resultado das folhas em forma de agulha do pinheiro a espetarem no tecido.
«Era muito doloroso. Mas, para ser sincero, não sentia nenhum corpo estranho dentro de mim», explicou o doente.

In Diário Digital

Relações


Não digo todas, mas grande parte das mulheres tem tendência a quando tem uma relação ou ralação :), fazer perguntas do género:

“E logo combinamos alguma coisa?”
“Sais a que horas?”
“Ligas mais tarde? “

Para não falar das ainda piores:

“Mas vais onde?”
“E chegas a que horas?”
“Vais com quem?”

Isso são como diria um amigo, coisas de gaja!
Bom, estas coisas de gaja devem ser quase instintivas… por uma questão de organização do dia, de saber com o que conta, curiosidade… ou qualquer outra merda. Esse instinto ou o que quer que seja para os gajos deve ser uma seca, um control, uma “prisão”.
“Eh lá já estou a ficar com a rédea curta, deixa-me é fugir enquanto é tempo”

Hoje em dia com a aprendizagem de vida Uau esta é profunda! dou comigo a pensar 2 vezes antes de perguntar o que quer que seja. E aprendi também que não é difícil não perguntar e deixar andar.
Estarei em estágio para coisas de gajo!?!?!?!?!?!?!?!?





Ainda não consegui foi o aparente desprendimento masculino... hei-de lá chegar!

Momento Zen do dia


Começa o frenesim de mais um mercado cinematográfico, além de todo o trabalho diário que já tenho, a marcação destes mercados cabe-me a mim e este é o mais difícil!
É mais uma das muitas funções, pois parece que sou a pessoa indicada para isso?! Só gostava de saber porquê…
Sou indicada para isso, para fazer a ponte com os advogados, para fiscalizar o que se passa com os diversos assuntos a tratar, para saber tudo o que se passa, para tratar de tudo o que se relaciona com viagens, … até para receber uma viatura rebocada e ajudar a estacioná-la no local certo!
Mas de vez em quando mando tudo para as urtigas e faço uma pausa não a do famoso Kit Kat mas a do café pingado a meio da tarde e nem me venham fazer perguntas ou o que quer que seja… já sabem a resposta que levam – silêncio absoluto!

Mails arhrhrhrhrhr

Vai uma pessoa almoçar em 30m e quando chega dá com 50 mailzitos acabados de chegar!
Assim não dá, estas novas tecnologias de comunicação e de informação não dão uma tréguazita.
Já nem há tempo para pensar, quando damos por ela estamos embrulhados num emaranhado de informações sem saber por onde começar.
Já estou como o outro com a loucura das noites de Verão: "não sei se tire ou ponha o gel tal é a rapidez dos acontecimentos!"

sábado, 11 de abril de 2009

Why Now?

Se há alturas em que queremos o nosso passado presente, em que nos consola, há outras em que o julgamos “esquecido”, em que não precisamos dele e, ele, insiste em aparecer, invadir e não nos largar.
É o caso hoje e até de ontem, sacudo os pensamentos, arranjo mil e uma coisas para fazer, entretenho esta minha cabeça com coisas boas do presente, mas ele insiste e insiste.
Digo-lhe que o meu presente está bom e é o que me interessa, mas ele não liga, não quer perceber e ataca em pequenas coisas. Num ou noutro gesto que faço obriga-me a recordar uma viagem relâmpago para um almoço em Trás-os-Montes, leva-me ao Alentejo onde revisitámos o passado e em que laços de amizade e cumplicidade se estreitaram.
Foram bons momentos, mas não os quero aqui e agora. Quero que fiquem guardados, sossegados no seu canto para poder gozar o presente e quem sabe construir um passado que tenha futuro.

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Light on

E...

... se um desconhecido lhe oferecer um chocolate logo pela manhã?????

terça-feira, 7 de abril de 2009

Coisas

Há coisas que me apetece fazer, mas que não posso dizer.
Há coisas que posso dizer, mas que não me apetece fazer.

Miles Away



Só porque gosto...

Etiquetas para quê?

Porque será que quando começamos ou temos uma relação temos tendência para a "etiquetar"?
E, enquanto não temos algumas certezas a nossa cabeça anda num corropio, mesmo não querendo e pensa, pensa, pensa...
Será uma amizade colorida?
Um bocadinho mais que amizade que nos faz sentir bem?
Um caso?
Uma relação séria?
É mais forte do que nós etiquetar talvez para lhe darmos algum sentido? Para nos sentirmos mais seguros?
Será que tudo tem de ter um sentido, um nome?
Porque é tão difícil para alguns ir deixando andar?
Se está bom assim, óptimo!

2 prémios!


O Pancadas passou-se e resolveu dar não um, mas 2 prémios de uma só vez!

Este é um pouco exagerado não??????

Aqueles que espreito e que estão ali à direita são os meus nomeados para os 2, sim, os 2 prémios, porque se os espreito "Vale a pena acompanhar este Blog" e "Jovens não sei mas que pensam, pensam!"

sábado, 4 de abril de 2009

Something Stupid

Expressões

Não sei se é bom ou mau mas a maior parte das vezes pode ler-se na minha cara se gosto ou não de alguém, de uma situação ou de algo.
Umas vezes deixa-me em situações embaraçosas, outras vezes estraga o que pensava fazer, outras vezes... faz com que não me chateiem porque fogem logo!

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Influência da altitude?

A meio da descida de uma encarnada, de cadeirinha, e talvez devido a um telefonema tardio e longo de ontem, passou-me isto pela cabeça :
Algumas vezes existe aquele que amamos e aquele que nos pode fazer sentir bem, dar-nos bons momentos de felicidade... que pode não ser a mesma pessoa... Felizmente grande parte das vezes é a mesma pessoa aquela que amamos e que nos faz sentir bem, mas quando isso não acontece, o que é mais importante?
Amarmos e vivermos tristes, conformados com a nossa sina?
Ou
Termos ao nosso lado quem nos entende, nos dá a mão e nos faz disfrutar a vida?
Mais umas subidas e descidas e não sei o que me irá passar pela cabeça!!!!