domingo, 18 de janeiro de 2009

"Não faças aos outros..."

Desde que me lembro que tento viver de acordo com uma frase:
“Não faças aos outros o que não gostarias que te fizessem a ti”
Julgo que melhor ou pior tenho conseguido, nem sempre é fácil… por vezes magoam-nos tanto que a vontade que temos é de pagar na mesma moeda:
“Amor com amor se paga”!
Continuo a preferir a 1ª frase, mas começo a questioná-la… muitas vezes dou comigo a pensar se valerá a pena… se “poupar” o outro/a, às vezes, em nosso detrimento, é “legitimo”?
Porque não tratá-lo/la na mesma moeda?
Não seria melhor até para que ele/ela perceberem como tinham agido?
Será que ao o/a “pouparmos” os/as estamos a ajudar ou antes pelo contrário?

14 comentários:

Wish disse...

E quando nos acontece coisas que NÃO fizemos aos outros?
Nem pouco mais ou menos?
É, a vida e injusta...

Bom fds:) Bj*

mimanora disse...

Wish não consigo comentar o teu blog?!
O que escrevi não tem a ver com o que acontece, nem em receber, tem a ver com a nossa atitude: tentar não fazer coisas que magoem os outros ou que nós não gostariamos que nos fizessem, mas às vezes custa quando essas pessoas nos fazem mal.

eva disse...

Perguntas muito pertinentes, essas... Não sei respostas...

pensamentosametro disse...

Ai Mimanora se essas coisas deixassem marcas eu aprecia um dálmata, isto para levar a coisa na desportiva.

No entanto e apesar do mau feitio continuo a não pagar na mesma moeda, se calhar devia...

Bjos


Tita

mimanora disse...

Eva, acho que as respostas estão em nós em características nossas que não mudam,Não é assim Tita?

Um gajo qualquer... disse...

“Não faças aos outros o que não gostarias que te fizessem a ti”

Quero continuar a acreditar que está uma frase que vale a pena seguir...


;)

Alexandre disse...

Eu raramente faço aos outros o que eles me fazem a mim, excepto gostar...

gimbras.nofuturo.com disse...

Espera lá. Acho que estás a confundir as coisas. Eu também sigo a primeira frase. Eu não faço que não gostaria que fizessem a mim.

Todavia, se me fizerem a mim algo que não gosto, aí sim é que respondo da mesma moeda. Mas apenas na resposta.

Jamais como aquele que inicia a coisa. Por isso, a primeira frase refere-se a iniciar algo. E não a responder.

Compreendes?

Tita disse...

Eu vivo sob o lema de que "tudo o que fizeres aos outros voltará para ti a triplicar"... quer seja o bem, ou o mal!

mimanora disse...

Gajo e Alexandre :)
Gimbras, percebo. De qualquer modo mesmo que me façam a mim não consigo responder da mesma moeda. Ignoro. Não sei se é bom se é mau...

gimbras.nofuturo.com disse...

Epá, depende do que façam. Há coisas que nem merecem resposta. A ausência da resposta já é suficiente.

L.M disse...

Tenho exactamente a mesma dúvida que tu, será que vale a pena?!
E enquanto não souber a resposta a isto vou fazendo as coisas tal e qual como gostaria que fizessem comigo!! Provavelmente não me arrependerei mas se arrepender... paciência, o próximo leva em dobro!!! :p

Beijoca

Thunderlady disse...

Ess ditado seria bem melhor se fosse antes "faz aos outros o que gostarias que te fizessem". É por este que me oriento :)

Matrix disse...

Essas duas frases são diferentes!
Não as juntes!
A primeira fala de um principio, a segunda fala de vingança!!!
Agora se por vezes tens de fazer determinadas coisas aos outros pois eles não querem ver (por vezes porque preferem ser cegos)... aí já é outra coisa!