segunda-feira, 2 de março de 2009

Post "guardado"

Viveste 4 meses intensos em que não a largavas, tinhas reencontrado a paixão dos teus 15 anos e que ora mais esbatida ora mais acesa te acompanhou, talvez sem dares por isso, 28 anos.

Nesses 4 meses insistias em fazer tudo com ela, em a envolver em tudo o que era teu, em que te envolvias em tudo o que era dela. Houve algumas ocasiões, raras em que fizeste os teus programas por insistência dela.

Fizeste-a sentir tão feliz, tão segura e tão amada!

Disseste-lhe as palavras mais bonitas que um homem pode dizer, escreveste-as, fizeste-a acreditar que poderiam ser felizes e foram durante esse tempo…

Bruscamente sem nenhum indício tudo acabou.

Faltava-te emoção, dizias, precisavas de mais qualquer coisa… ela não teria tudo o que tu precisas de ter numa mulher e o teu lado insatisfeito levou-te para outros lados… Talvez esse lados te preencham em parte, sim, só em parte porque continuas incompleto…

Só conseguirás sentir-te completo e ter o que desejas quando souberes o que desejas mesmo, quando sentires necessidade de tranquilidade, quando deixares que a pureza de uma relação que já tiveste se apodere de ti e te mostre o que é genuíno, o que verdadeiramente precisas, quando não quiseres perder o que tu tens de especial. Por enquanto talvez isso tudo te assuste…

Talvez um dia percebas que tiveste ao teu lado quem te podia completar e talvez então consigas gostar dela do modo apaixonado que necessitas de gostar, gostar dela mais do que gostar, com a emoção que te faltou.


Quem sabe um dia…ou não.



Há vários meses sentia isto, escrevi-o para tentar descansar… para me dar tréguas a mim própria.

Hoje encontrei-o, reli-o e gostei do que escrevi, foi escrito com muita tristeza, mas também com muita ternura…agora sei que o posso arquivar neste meu canto.

8 comentários:

gimbras.nofuturo.com disse...

Alguém daqui disse que a autora escrevia mal? Ah, logo vi que não!

Esse texto é exactamente o que eu vivi nos últimos 3 meses, basta trocar o género do escritor e do destinatário e sou eu e ela. Algo que começou nos píncaros, desceu para simples amizade e agora não tem sentido nem conteúdo nenhum. Ainda por cima insinua que a culpa é minha, que imaginei...

Há dias que um gajo apetece detonar com o mundo inteiro.

...Ju... disse...

bem... pelos vistos somos 3 a pensar que em alguma altura este texto nos descreveu (descreve) bem...

bjinho*

Miss Glitering disse...

Muito lindo mesmo...

Kika Canas da Lapa disse...

:*

Thunderlady disse...

O teu texto e os comentário do Gimbras e da Ju fizeram-me lembrar o segundo amor da minha vida (o primeiro foi estupidamente precoce, não conta, eheh), em que parecia impossível haver relação, depois concretizou-se e foi estupendo, depois aparvalhou e depois acabou. E nem amizade ficou e agora olhando para trás nem sequer sentido tem.
Na altura teve, sim, teve. Mas agora vejo que nem amizade fazia sentido.

Bjoka

mimanora disse...

Gimbras, calma aí, não detnes o mundo inteiro, detona-a só a ela;)

Ju, há vidas muito parecidas num ou noutro momento.

Miss Glitering :)

Kika ;)

Thunderlady, é triste a amizade não ter sobrevivido, logo logo às vezes é dificil mas passado algum tempo...

Cai de Costas disse...

Só para saberes que sei.

mimanora disse...

Caidecostas ?