segunda-feira, 23 de março de 2009

Gostar

Quando gostamos de alguém não deveríamos ter receio de dizer e de o mostrar.
Deveria ser natural e quase espontâneo. Como as crianças que com a sua pureza nos dizem ou mostram logo se gostam ou não de nós.
À medida que vamos crescendo e "aprendendo" como devemos fazer e estar, vamos perdendo a espontaneidade e se por ex., nos apetece dar um beijo ou um abraço a um/a amigo/a retraímo-nos, porque isso pode ser mal interpretado ou até mal visto!
Muitas vezes deixamos para dizer num outro dia ou achamos que não precisamos de dizer ou nem nos lembramos de o fazer e quando nos lembramos… é tarde demais… ou... perdemos a oportunidade!

4 comentários:

Kika Canas da Lapa disse...

Geração sem espontaneidade, sem altruísmo, sem sentimento, sem cuidado com o outro... triste!

Thunderlady disse...

Podes crer, muitas vezes deixamos escapar excelentes oportunidades de mostrar / dizer que gostamos de alguém naquela que não sabemos se foi "once in a lifetime".
Depois de à minha avó ter sido diagnosticado o cancro tentei aproveitar essas oportunidades.

Mas aqui acrescento que assim como devemos aproveitar oportunidades de mostrar que gostamos também as devemos aproveitar para o contrário. Evitaria muitos equívocos!

***

pensamentosametro disse...

Eu quando gosto, gosto e aí saiam da frenteeeeeeeee.


Com o tempo e os empurrões tornei-me contudo mais cautelosa.



Bjos



Tita

gimbras.nofuturo.com disse...

É verdade. Mas muita gente se assusta ou ofende com espontâneidade.