sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Monólogo de almofada

A maior parte das vezes que me lembro de coisas para escrever estou em sítios onde não o posso fazer ou quase a dormir.
Ontem estava quase a adormecer e lembrei-me que grande parte dos casais que conheço e que se separam, os homens refazem mais rapidamente a vida do que as mulheres.
Não sei se isto é correcto ou não, mas o facto é que dos casais que conheço essa é a realidade e pus-me a pensar porque seria.

Seria por haver uma maior “oferta” disponível do lado feminino?

Seria por na maioria dos casos serem as mulheres a ficar com a guarda dos filhos? não é que seja impedimento ao que quer que seja, mas é mais limitativo.

Seria por o lado masculino ter uma disponibilidade mental maior? Desligarem mais rapidamente do passado?

Claro que não cheguei nem vou chegar a conclusão nenhuma, é só mais umas daquelas minhas dúvidas existenciais que vão e vêm com as marés!

12 comentários:

uena disse...

Chateia-me que isso assim seja.
Mas enfim :S

eva disse...

Boa pergunta a tua!... Bom fim-de-semana!

Wish disse...

Eu faço monologos desses mas no banho...não sei, dá-me para pensar...
Mas olha, acho que as coisas estão a mudar e já não se passa tanto assim! Conhço vários casos em que foram elas que refizeram a vida, e também foram elas que terminaram tudo e traíram. Acho que depende da pessoa, não do sexo. Bj*

mimanora disse...

Pois Uena.
Eva, estas minhas dúvidas irritam-me um bocadinho

Wish, talvez tenhas razão. Quanto à traição a maior parte dos casos que conheço são de mulheres! Mas os que sei elas ainda estão casadas...

Thunderlady disse...

Às vezes penso nisso também. Os casos que conheço dividem-se maioritariamente em dois grupos: o das mulheres que conheceu o novo companheiro ainda quando casada logo não ficou propriamente "disponível no mercado" e o grupo das que depois de conhecerem as "maravilhas" da solteirice a aproveitam; na maioria destes casos o casamento esgotou-se ao fim de pouco tempo e não era uma partilha mas sim um sacrifício onde elas não querem voltar a participar.

Tenho um caso muito próximo na família, os meus pais.

Os meus pais divorciaram-se depois de 8 anos de casamento. O meu pai casou dois anos depois e teve mais filhos. A minha mãe casou mais de 20 anos depois, não teve mais filhos.
Ambos "refizeram a vida" (que termo tão estapafúrdio, porque a minha mãe refez a vida logo depois do divórcio mesmo não tendo casado com ninguém não deixou de ter objectivos) de modos diferentes e ambos se deram bem.


Tudo está bem quando acaba bem.

Thunderlady disse...

Esqueci-me de dizer uma coisa: partilho o teu "problema" de na maioria das vezes me lembrar de coisas quando não tenho acesso à escrita. É uma bodega!

Bom fim de semana, bj

claudia oliveira disse...

a mim acontece-me o mesmo. qdo estou quase a dormir escrevo com cada coisa... no dia seguinte nao me lembro

Wish disse...

E ficarão casadas porquê? Eles sabem e concordam? Que confusão! Aliás, aquele post que coloquei sobre a revista sábado desta semana, retrata mesmo o tema...não sei, não compreendo, não entendo. :(

João disse...

também quando estou para dormir que me lembro das coisas.
umas vezes ainda me levanto para ir escrever, outras esqueço-me...

Matrix disse...

Isto está tudo de igual.... toda a gente se lembra das coisas quando está para adormecer... a mim ainda por vezes no meio da noite... ou quando vou a conduzir com o "cruise control" mental ligado...
Agora quanto a refazer... acho que dependerá das situações e das pessoas, não deve existir uma tipologia para o caso!
Nem vale a pena a irritação com tais dúvidas... são mesmo meras reflexões de almofada!

gimbras.nofuturo.com disse...

Por alguma razão se diz que há mais mulheres que homens. 7 mulheres para cada homem, logo... é mais fácil.

Tmb tenho esses monólogos.

Um gajo qualquer... disse...

Perguntas deveras interessantes...

Tenho as minhas respostas Mimanora, mas só iriam confundir mais a coisa :S