domingo, 12 de julho de 2009

Confirmações


Encontro marcado há algum tempo, esperado com alguma curiosidade e impaciência.
Não houve surpresas, só mesmo confirmações. E a confirmação que mais me espantou é que mudei mesmo uma pequena parte da maneira como me posso sentir numa espécie de relação (?).
Se há uns tempos atrás ter alguém era sinónimo de estabilidade, de ter por inteiro, hoje isso não é o mais importante para mim.
É importante sim não ser enganada, ser respeitada, não ficar “pendurada”… sentir-me bem.
Este encontro, diria atrevido ;), fez-me sentir bem e mesmo tendo confirmado algumas informações que o meu dedo mindinho me dizia, isso não me assustou, não fez com que fugisse.
Julgo que encontrei um bom amigo que não me deixará ficar mal, que me respeitará e será franco como foi este fim-de-semana.




O meu GPS não estava enganado... a parede está lá, existe...

5 comentários:

eva disse...

"Se há uns tempos atrás ter alguém era sinónimo de estabilidade, de ter por inteiro, hoje isso não é o mais importante para mim."
Do fundo da minha "ignorância na matéria" tb me parece cada vez mais que ter alguém não é sinonimo de estabilidade...

Thunderlady disse...

Acredito que as nossas experiências podem fazer ocm que mudemos os nossos ocnceitos.

Esta mudança de ocnceitos (talvez seja apenas mudança de necessidades) é algo muito nosso, não nos adianta dizer a ninguém "vai ser assim ou vai ser assado", não, as pessoas têm que experimentar por elas e sentir as coisas por elas :)

gimbras.nofuturo.com disse...

Há sempre outras opções válidas - desde que nos sintamos o.k., caso "ter alguém" signifique "chatices".

mimanora disse...

Eva ;)

Thunderlady, é mesmo! Não adianta nem dizer a nós próprios, temos de experimentar e ver se realmente existiu a mudança ou se é uma fase passageira em que as necessidades são diferentes momentâneamente.
Ai, ai já começo a racionalizar demais e a complicar!

Gimbras :)

Nirvana disse...

A visão que temos das coisas, das situações, vai mudando, tal como nós mudamos conforme as experiências que vamos vivendo. Não sei bem ainda se mudamos ou se nos adaptamos. Seja como for, o importante é sentirmo-nos bem. Não fechar as portas à vida.

As paredes que erguemos são importantes. Resguardam-nos, protegem-nos, dão-nos abrigo quando precisamos. Temos só de ter cuidado e deixar uma abertura nessas paredes...para um fim-de-semana, para umas férias, para uma vida, para o que for. Só não podemos fechar-nos dentro dessas paredes. E não racionalizar muito ;)
Beijinhos