sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Cordão Umbilical

Fui tia pela 7ª vez há cerca de 1 semana e quando fui ver a criança ao hospital vi uma espécie de geleira pequena, curiosa perguntei para que era, é para enviar o cordão umbilical!
Claro que a conversa rumou para esse tema, o guardar ou não o cordão umbilical como “seguro”  para possíveis problemas de saúde da criança.
Com tanta publicidade feita por figuras públicas a algumas empresas cujo negócio é guardar e conservar o cordão umbilical, porque será que não existe publicidade a um BANCO PÚBLICO DO CORDÃO UMBILICAL, que ao contrário dos outros é gratuito, serve a investigação cientifica e funciona como o banco de sangue disponível para todos?
Devem ser muitos os pais que hoje em dia pagam uma fortuna para preservar o cordão umbilical dos seus filhos sem saberem bem que doenças pode tratar (sei que são poucas), se essa conservação será eficaz,... mas fazem-no nem que seja por uma questão de consciência e fazem-no com estas empresas porque não existe praticamente informação sobre o BANCO PÚBLICO.

2 comentários:

Blogger que teve que ter nome disse...

Também não sei o porquê.
Nós recorremos ao público (Lusocord) depois de averiguar e ponderar vários factores.
A maioria das pessoas recorre ao particular com o engano de achar que no caso de uma doença grave ela será auto-curada quando na realidade, para a maioria das doenças, é preciso um dador que não o próprio... por isso, na maioria dos casos em que foi feita a conservação no privado esse sangue (e células estaminais) servem para outros receptores (um irmão?)...

Voltaria a recorrer ao público.

ALEX disse...

Ola tudo bem ! passei na sua página por acaso e resolvi te seguir,podemos ser amigos se quiser. bjsssssssss....